O adoecer em usuários de insulina acompanhados no Programa de Automonitoramento Glicêmico: da prática assistencial à integralidade em saúde

O adoecer em usuários de insulina acompanhados no Programa de Automonitoramento Glicêmico: da prática assistencial à integralidade em saúde

Author Dias, Ivan Wilson Hossni Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Junqueira, Virginia Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Saúde da Família
Abstract Diabetes Mellitus patients using insulin have singularities in the way they fall ill and in the recovery of functional normality in their daily lives. Investigating the work process of the professionals of the Glycemic Self-Monitoring Program, comparing the health needs of insulin users, can contribute to the improvement of care practices from the perspective of integrality. Objectives: subsidize healthcare practices within the scope of the Glycemic Self Monitoring Program of a Basic Health Unit based on the characterization of the health needs of individuals with DM in insulin use. Identify and characterize the health needs of individuals with DM who use insulin accompanied by the Glycemic Self Monitoring Program of a Basic Health Unit. Identify and characterize health practices within the scope of the Glycemic Self Monitoring Program in the perspective of integrality of care. Discuss with the professionals working in the GSMP the experience of the sickness of users with DM in use of insulin. Methods: qualitative design study. Two conversation wheels were carried out with insulin users followed up by the Family Health Strategy team and five semi-structured interviews with all health professionals working in the GSMP of a Basic Health Unit in the city of São Paulo. The recorded material was submitted to the technique of content analysis. Results: The process of sickness of insulin users is directly related to the obstacles that this practice imposes to social and productive normality. It is remarkable in the experience of getting sick the difficulties of reordering the vital functionality by the sick people, expressed by a behavioral tendency of resistance to the therapeutic proposals that affect the ways of life. The need for perception of the pharmacological effect on the lived body is revealed in the dimension of the insulin treatment, in the search for the recovery of the biological self, as well as the conflict subsequent to the need for insulin management inserted within a singular aesthetic of living. The group activities developed by the GSMP of the Basic Health Unit operate as a potential space for dialogical exchange between the community and health workers, an expectation that is incorporated into the distribution of inputs and management of clinical records. From the perspective of health professionals, the work process presents operational obstacles, related mainly to the divergence and articulation of information among health equipment workers. The difficulty in promoting the autonomy of the sick people has been associated with the symbolic fatalism resulting from the inability of the insulin users to reproduce technical-instrumental knowledge. Conclusion: The practice of care in the context of the Basic Health Unit finds difficulties in responding to the health needs of insulin users. The constitution of dialogical spaces with the community in the context of the GSMP and the incorporation of different knowledge in the day-to-day care showed to be relevant for the characterization of their lifestyles and thus can determine singular approaches in the planning of the care of the people in use of insulin.

Os portadores de Diabetes Mellitus em uso de insulina apresentam singularidades no modo de adoecer e na retomada da normalidade funcional em seus cotidianos. Investigar o processo de trabalho dos profissionais do Programa de Automonitoramento Glicêmico, cotejando-se as necessidades de saúde dos usuários de insulina, pode contribuir para o aprimoramento das práticas assistenciais sob a óptica da integralidade. Objetivos: subsidiar as práticas assistenciais no âmbito do Programa de Automonitoramento Glicêmico de uma Unidade Básica de Saúde com base na caracterização das necessidades de saúde de indivíduos portadores de DM em uso de insulina. Identificar e caracterizar as necessidades em saúde de indivíduos portadores de DM em uso de insulina acompanhados no Programa de Automonitoramento Glicêmico de uma Unidade Básica de Saúde. Identificar e caracterizar as práticas de saúde no âmbito do Programa de Automonitoramento Glicêmico na perspectiva da integralidade da atenção. Discutir com os profissionais atuantes no PAMG a experiência do adoecer de usuários com DM em uso de insulina. Métodos: estudo de delineamento qualitativo. Realizaram-se duas rodas de conversa com usuários de insulina acompanhados pela equipe Estratégia Saúde da Família e cinco entrevistas semiestruturadas com todos os profissionais da saúde atuantes no PAMG de uma Unidade Básica de Saúde do município de São Paulo. O material audiogravado foi submetido à técnica de análise de conteúdo. Resultados: o adoecimento dos usuários de insulina está diretamente vinculado aos obstáculos que essa prática impõe à normalidade social e produtiva. Destaca-se na experiência do adoecer as dificuldades de reordenação da funcionalidade vital pelos sujeitos adoecidos, expressadas por uma tendência comportamental de resistência às propostas terapêuticas que incidem sobre os modos de vida. Revela-se na dimensão do tratamento a necessidade de percepção do efeito farmacológico sobre o corpo vivido, na busca pela retomada do self biológico, bem como o conflito subsequente à necessidade de manejo insulínico inserido dentro de uma estética singular do viver. As atividades em grupo desenvolvidas pelo PAMG da Unidade Básica de Saúde operam como espaço potencial de troca dialógica entre a comunidade e os trabalhadores de saúde, expectativa essa incorporada à distribuição dos insumos e gestão dos registros clínicos. Na perspectiva dos profissionais de saúde, o processo de trabalho apresenta entraves operacionais, relacionados principalmente à divergência e articulação das informações entre os trabalhadores do equipamento de saúde. A dificuldade na promoção da autonomia dos sujeitos adoecidos mostrou-se associada ao fatalismo simbólico decorrente da incapacidade dos usuários de insulina em reproduzir saberes técnico-instrumentais. Conclusão: A prática assistencial no contexto da Unidade Básica de Saúde encontra dificuldades em responder às necessidades de saúde dos usuários de insulina. A constituição de espaços dialógicos com a comunidade no contexto do PAMG e a incorporação de diferentes saberes no cotidiano assistencial podem determinar abordagens singulares no planejamento do cuidado das pessoas em uso de insulina.
Keywords Needs Assessment
Integrality In Health
Diabetes Mellitus
Primary Health Care
Unified Health System
Determinação De Necessidades De Cuidados De Saúde
Integralidade
Diabetes Mellitus
Atenção Primária À Saúde
Sistema Único De Saúde
Language Portuguese
Date 2019-02-15
Research area Educação E Saúde: Tendências Contemporâneas Da Educação, Competências E Estratégias De Formação Profissional
Knowledge area Saúde Da Família
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 105 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=7676281
Access rights Open access Open Access
Type Dissertação de mestrado profissional
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/59182

Show full item record




File

Name: IVAN WILSON HOSSNI DIAS.pdf
Size: 969.5Kb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account