As mulheres na economia solidária: desafios e potencialidades

Show simple item record

dc.contributor.advisor Bovolenta, Gisele Aparecida [UNIFESP]
dc.contributor.author Colpani, Jade dos Reis [UNIFESP]
dc.coverage.spatial Google meet pt_BR
dc.date.accessioned 2020-12-01T18:33:49Z
dc.date.available 2020-12-01T18:33:49Z
dc.date.issued 2020-10-23
dc.identifier.citation COLPANI, Jade dos Reis. As mulheres na economia solidária: desafios e potencialidades. 2020. 91f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Serviço Social) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2020. pt
dc.identifier.uri https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/58837
dc.description.abstract A partir de uma revisão bibliográfica, documental e legal, e baseado no método materialista histórico-dialético de Marx, este trabalho de conclusão de curso realiza uma breve análise acerca da organização do modo de produção capitalista e da posição da mulher na esfera produtiva. Em virtude da divisão sexual do trabalho, foi possível traçar as principais características que, ainda hoje, marginalizam a mulher na sociedade, criando – ao mesmo tempo – um cenário contraditório de desigualdade e de resistência. É nesse contexto que emergem os movimentos feministas e a interseccionalidade enquanto necessidade de se articular com as demais lutas sociais, a fim de construir uma práxis emancipatória e orientada para a transformação societária. Essa conjuntura de precarização do mundo do trabalho também termina influenciando na expansão da economia solidária no país como uma alternativa ao desemprego. Baseado em princípios solidários e autogestionários, esse movimento leva à institucionalização da economia solidária como política pública, o que implica em mudanças nas relações estabelecidas com o Estado e com os demais movimentos sociais. Sob a crítica marxista, são iniciativas que contam em grande maioria com a falta de recursos adequado e acesso a direitos trabalhistas, podendo vir a ser funcionais ao sistema capitalista. Entretanto, a partir da construção crítica feita pelo próprio movimento no país, seus defensores destacam o caráter visivelmente democrático da economia solidária, que convoca seus participantes na luta por justiça social e ampliação de direitos. Nesse processo, destaca-se a participação das mulheres na economia solidária e a luta pela construção de uma economia feminista, além de relatar algumas experiências autogestionadas geridas por mulheres e a condição de vida e trabalho de que gozam. Por fim, consideramos que a participação destas/es sujeitos na economia solidária se dá, em um primeiro momento, em razão da necessidade de subsistência, mas, que pode vir a produzir efeitos benéficos e que transcendem o processo de geração de renda, gestando potencialidades e construindo participação política em defesa da classe trabalhadora. pt_BR
dc.format.extent 91 f. pt_BR
dc.language por pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo pt_BR
dc.rights Acesso aberto pt_BR
dc.subject Mulheres pt_BR
dc.subject Economia solidária pt_BR
dc.subject Economia feminista pt_BR
dc.subject Trabalho pt_BR
dc.subject Renda pt_BR
dc.title As mulheres na economia solidária: desafios e potencialidades pt_BR
dc.title.alternative Women in the solidarity economy: challenges and potential en
dc.type Trabalho de conclusão de curso de graduação pt_BR
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
unifesp.campus Instituto de Saúde e Sociedade (ISS) pt_BR
unifesp.knowledgeArea Outra pt_BR
dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/6737164989162223 pt_BR
dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/4488256741200083 pt_BR
unifesp.departamento Políticas Públicas e Saúde Coletiva pt_BR
unifesp.graduacao Serviço Social pt_BR



File

Name: TCC SS JADE.pdf
Size: 815.6Kb
Format: PDF
Description: Monografia
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account