A influência da motivação no desempenho físico de jogadores de futebol

A influência da motivação no desempenho físico de jogadores de futebol

Author Bedo, Douglas Luiz de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Antunes, Hanna Karen Moreira Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Abstract No presente estudo foi avaliado e comparado o efeito psicobiológicos e físicos de diferentes influencias motivacionais em um teste incremental realizado em esteira com atletas de futebol da categoria sub-17. Participaram deste estudo 8 jogadores de futebol de campo da categoria sub 17 (16 a 18 anos), do sexo masculino, saudáveis, com experiência mínima de 2 anos de treinamento, com regularidade semanal de 3 vezes, e independentemente da posição de jogo. Os voluntários foram submetidos a três protocolos idênticos de carga progressiva até a exaustão voluntária máxima em esteira. Em cada um deles, foi determinado a velocidade máxima alcançada (VPICO), tempo até a exaustão, bem como as respostas fisiológicas referente a frequência cardíaca e temperatura corporal. Além disso, nos momentos basal e imediatamente após o termino do exercício, os voluntários responderam questionários que avaliaram o estado de humor, a ansiedade estado e a experiência subjetiva de exercício físico. Os testes foram realizados no mesmo período do dia, com intuito de minimizar variações circadianas. Para cada tentativa, isto é, para cada teste de esforço, foi dado um diferente tipo de estímulo durante o teste, a saber: 1) Encorajamento verbal - os voluntários receberam incentivos verbais durante todo o período do protocolo, usando palavras/frases positivas como: “muito bom” e “continua assim”, “vamos lá”, “está ótimo”, “excelente” e outros; 2) Silêncio - o voluntário foi apenas informado sobre início e o final do teste. 3) Vídeo Motivacional – Durante o período de repouso que antecede o teste, bem como nos 3 minutos de aquecimento, os voluntários assistiram um breve vídeo motivacional. Os protocolos foram realizados no mesmo horário do dia e separados por um período de washout mínimo de 48h e máximo de sete dias. Embora a distância percorrida nas condições experimentais que envolveram reforço (Verbal ou vídeo), como resultados, não foram encontradas diferenças entre as condições experimentais, sendo apenas encontrado como esperado, aumento na fadiga, PSE e FC após o exercício quando comparado a condição basal. Esses resultados podem ser justificados pelo baixo número de voluntários envolvidos neste estudo. Assim, conclui-se que a motivação verbal e/ou por vídeo motivacional não modificaram a performance em teste até a exaustão voluntária máxima de jogadores de futebol.

In this study were evaluated and compared the psychobiological and physics effects protocol of different motivational influences on treadmill incremental task with young soccer players of U-17. Participated of this study, eight U-17 (16 at 18 years old) soccer players, male, healthy, with minimum experience of two years of training, three trainings per week and independently of position game. The volunteers were submitted to three identical incremental protocols at maximum voluntary exhaustion. In each protocol were determined the maximum velocity (VPICO), exhaustion time, as well the physiological responses as heart rate and body temperature. Furthermore, in the basal moments and imminently the end of fatigue protocols, the volunteers responded a questionnaire about mood, anxiety and the subjective experience of physical exercise and subjective experience of physical exercise. The tasks were realized during the day to minimize cardiac changes. For each attempt, was given a different type of stimulus during the task: 1) verbal encouragement: the volunteers received during all fatigue protocol, using positive words as “very good”, “keep going”, “let’s go”, “It’s great”, “excellent”. 2) Silence: the volunteers was only informed about the start and the end of the task. 3) Motivational movie: During the resting time, that precedes the task, as well during the three minutes of warm up, the volunteers watch brief motivational movie. The protocols were realized in the same hour and separated for a period of washout minimum of 48 hours and maximum of seven days. Though the distance during the tasks that involve effort (Verbal and Movie), as results, were not found difference between the experimental conditions, being only found as expected, increased fatigue, PSE and HR after exercise when compared with the baseline condition. These results can be justified by the lower participant’s number. Therefore, concluded that the verbal and/or video motivation do not change the performance in treadmill exhaustion protocols in young soccer players
Keywords Teste Incremental
Motivação
Futebol
Humor
Incremental task
Soccer
Motivation
Mood
xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-coverage ISS
Language Portuguese
Date 2016-12-21
Published in BEDO, Douglas Luiz de Souza. A influência da motivação no desempenho físico de jogadores de futebol. 2016. 40 f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Educação Física) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo , Santos, 2016.
Knowledge area Promoção da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 40 f.
Access rights Closed access
Type Trabalho de conclusão de curso de graduação
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/53286

Show full item record




File

Name: DOUGLAS BEDO.pdf
Size: 608.8Kb
Format: PDF
Description: TCC completo
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account