Relações entre velocidade de corrida e saltos múltiplos, em atletas velocistas com deficiência visual e seus guias

Show simple item record

dc.contributor.advisor Oliveira Filho, Ciro Winckler [UNIFESP]
dc.contributor.author Gatamorta, André Bilhó [UNIFESP]
dc.coverage.spatial ISS pt_BR
dc.date.accessioned 2020-03-19T19:38:41Z
dc.date.available 2020-03-19T19:38:41Z
dc.date.issued 2013-02-18
dc.identifier.citation GATAMORTA, André Bilhó. Relações entre velocidade de corrida e saltos múltiplos, em atletas velocistas com deficiência visual e seus guias. 2013. 34 f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Educação Física) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2013. pt
dc.identifier.uri https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/52071
dc.description.abstract O Atletismo Paralímpico é uma modalidade esportiva de variadas provas e multi-deficiências, no entanto, para os fins deste estudo, optou-se pela abordagem apenas das corridas de velocidade para atletas com deficiência visual (DV). Estas seguem um sistema de classificação esportivo baseado em escalas oftalmológicas que indicam as classes esportivas T/F 11-13, sendo que as regras esportivas são adaptadas para atletas das classes 11 e 12, permitindo-se o auxilio de um guia, que poderá correr junto com o competidor para orientá-lo. Destaca-se dentre as valências físicas exigidas a esses atletas a força explosiva. Objetivo: Buscar relações entre resultadosem testes de corrida de 50 metros com resultados em testes de saltos múltiplos horizontais (SMH). Metodologia: Pesquisa aprovada pelo CEP/UNIFESP0294/11. Participaram desse estudo 8 atletas DV, sendo eles, 4 do gênero masculino e 4 feminino das classes T/F 11 e 12 e seus respectivos guias, todos participantes da seleção brasileira. As avaliações foram realizadas no Núcleo de Alto Rendimento Grupo Pão de Açúcar em São Paulo, e na pista de atletismo de São Caetano durante as semanas de treinamento da seleção. Foram realizados testes de velocidade com o sistema de células fotoelétricas (Smart Speed/ Fusion Sport) conectadas a um notebook, que captavam os tempos parciais entre as posições 10, 20, 30, 40 e 50 metros. Os testes dos atletas com DV foram feitos juntamente com os guias e depois somente os guias. Nas avaliações de SMH, testes de saltos quíntuplos unilaterais (Q) e décuplos alternados (D). Os parâmetros foram avaliados pelo teste Wilcoxon e o teste de correlações de Person pelo software SPSS 20 Resultados: Os atletas com DV apresentaram médias de velocidades: 10 metros 6,06±0,25m/s, 20 metros 7,75±0,30m/s, 30 metros 8,47±0,48m/s, 40 metros 8,69±0,53m/s, 50 metros 8,62±0,43m/s e média total 7,78±0,35m/s. Os guias: 10 metros 6,32±0,16m/s, 20 metros 8,47±0,22m/s, 30 metros 9,26±0,34m/s, 40 metros 9,61±0,42m/s, 50 metros 9,52±0,34m/s e média total 8,46±0,20m/s. Nos saltos os atletas com DV obtiveram resultados de: Q esquerda 10,05±1,73m, Q direita 10,15±1,86m e D 21,79±2,91m. Os guias: Q esquerda 12,12±1,05m, Q direita 12,83±1,27m e D 27,18±2,12m,com diferenças significativas (p≤0,05) entre atletas e guiasem todas as parciais, velocidade média total e em todos os saltos. As análises demonstram maior número de correlações significantes entre os saltos e velocidade nos atletas com DV, pois nos atletas guias isso ocorreu apenas nos saltos com a perna esquerda com as velocidades das parciais de 30, 50 metros e na velocidade média total. Conclusão: Com isso, concluímos que os atletas com DV precisam dar maior atenção aos treinamentos de aceleração e top speed, visto que os resultados das velocidades parciais obtidos foram inferiores aos guias. Além da prática por ambos do treinamento de saltos,principalmente pelos guias, evidenciada pelo baixo número de correlações entre saltos e velocidade nesses atletas. pt_BR
dc.description.abstract The Paralympic´s Athletics is a sport that contains many events involving multi-disabilitiy athletes, however, this research is focused specifically in sprint for athletes with visual impairments (VI). Its follows a classification system based on ophthalmological scales that indicates sports classes T/F 11-13. The sport rules are adapted for athletics in classes 11 and 12, in which is allowed a guide to aid the competitor in order to conduct him. It´s necessary to emphasize that the explosive power as one of the more important physical valences required for these athletes.Objective: Investigate the relationship between the 50 meters sprints result and the tests of horizontal multiple jumps. Methodology: Research approved by CEP/UNIFESP 0294/11. In this study participated 8 athletes, 4 male e 4 female classified as T 11 and 12, accompanied by their guides, all of them participants of the Brazilian National Team. The tests were realized either in São Paulo, at Center for High Performance Grupo Pão de Açúcar in São Caetano at its running track. The sprint tests were done using the Smart Speed/ Fusion Sport system, which captured partial times results according the positions – 10, 20, 30, 40 and 50 meters. The tests with athletes VI were realized with help of guides, which were also submitted to tests by themselves. Both were submitted to multiple jump tests that were required that they realize 5 jumps with a single leg (S) and 10 jumps with alternate legs (A). The parameters were evaluated by Wilcoxon and their correlations dependents or independents to the software SPSS 20. Results: The athletes VI showed velocity medium of 10 meters 6,06±0,25m/s, 20 meters 7,75±0,30m/s, 30 meters 8,47±0,48m/s, 40 meters 8,69±0,53m/s, 50 meters 8,62±,43m/s and average speed 7,78±0,35m/s. The guides 10 meters 6,32±0,16m/s, 20 meters 8,47±0,22m/s, 30 meters 9,26±0,34m/s, 40 meters 9,61±0,42m/s, 50 meters 9,52±0,34m/s and average speed 8,46±0,20m/s. In the jumps,athletes showed results of S left 10,05±1,73m, Sright 10,15±1,86m D 21,79±2,91m. The guides S left 12,12±1,05m, S right 12,83±1,27m, D 27,18±2,12m. The analyzes showed a greater number of significant correlations between jumps and speed in athletes with VI, it’s because occurred in athletes guides only with the left leg jumps with partial 30,50mand the total average speed. Conclusion: Thus, we conclude that impairment visual athletes need o pay greater attention to acceleration and top speed training, since the results of partial velocities obtained were below the guides. Besides the practice both in jumping training, especially the guides, as evidenced by the low number os correlations between jumps and speed in these athletes en
dc.format.extent 34 f. pt_BR
dc.language por pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt_BR
dc.rights Acesso aberto pt_BR
dc.subject Corridas de velocidade pt_BR
dc.subject Saltos múltiplos pt_BR
dc.subject Deficiência visual pt_BR
dc.subject Sprint en
dc.subject Jumps en
dc.subject Visual impairment en
dc.title Relações entre velocidade de corrida e saltos múltiplos, em atletas velocistas com deficiência visual e seus guias pt_BR
dc.type Trabalho de conclusão de curso de graduação pt_BR
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
unifesp.campus Instituto de Saúde e Sociedade (ISS) pt_BR
unifesp.knowledgeArea Promoção da saúde pt_BR
dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/9923764030487136 pt_BR
dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/2067947156482139 pt_BR
unifesp.departamento Ciências do Movimento Humano pt_BR
unifesp.graduacao Educação Física pt_BR



File

Name: ANDRÉ GATAMORTA.pdf
Size: 1.903Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account