Relações entre a resistência à insulina e a compulsão alimentar na obesidade

Relações entre a resistência à insulina e a compulsão alimentar na obesidade

Author Affonso, Luiz Henrique Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Gomes, Ricardo José Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Abstract Em alguns países a incidência de obesidade já é um problema de saúde público, na qual esta é acompanhada de diversas comorbidades que aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Dentre as doenças que podem acompanhar a obesidade, a compulsão alimentar (CA) é uma que merece destaque. Um episódio de compulsão alimentar é um evento agudo caracterizado pela sensação de perda de controle sobre a ingestão alimentar, e ingestão de alimentos muito maior que uma pessoa semelhante e em situações semelhantes comeria, dentro de um período de 2 horas, e sem que haja os comportamentos compensatórios presentes na bulimia nervosa. A cronicidade deste comportamento de CA é critério de diagnóstico para o transtorno de compulsão alimentar (TCA), descrito no Manual Diagnóstico e Estatístico de Doenças Mentais (DSM) em sua quinta versão. O objetivo deste trabalho foi investigar a incidência de CA em pessoas com obesidade que passaram pelo grupo de estudo de obesidade (GEO) nos anos de 2012 a 2015 e 2017, e correlacionar CA com a resistência á insulina, analisada através do índice TyG (um índice de resistência a insulina computado através dos triglicerídeos e da glicose) nesta população. Foi encontrada incidência de 37,4% de comportamentos de CA na amostra de 238 obesos de ambos os sexos, sendo que das 195 mulheres 37,9% foram classificadas com compulsão alimentar, assim como 34,9% dos homens, não mostrando diferenças na incidência deste comportamento entre os homens e as mulheres. Ao analisar a CA e o índice TyG através de correlações (Spearman), não foi encontrado qualquer correlação entre esses dois fatores, sendo que mesmo quando estes critérios foram isolados para o sexo, não houve significância. Dados estes que ainda são controversos na literatura, que apresenta trabalhos que correlacionam ou não a resistência à insulina (normalmente pelo índice HOMA-IR) com comportamentos de CA ou TCA. Para concluir, o índice TyG é uma ferramenta barata e mais acessível que o índice HOMA-IR, para avaliação da resistência insulínica em pessoas com obesidade; o trabalho confirmou o já presente na literatura, de maior prevalência de CA em pessoas com obesidade do que naquelas sem. Os comportamentos de CA não apresentaram correlação ao índice TyG, no qual, estes comportamentos devam mostrar correlação com outros comportamentos psicopatológicos, como a ansiedade e a depressão.

In some countries, obesity is already a public health problem, as it is one of several comorbidities that increase the risk of cardiovascular disease. Among the diseases that can accompany an obesity, binge eating (BE) is one that deserves attention. An episode of binge eating is an acute event by losing control of a ingestion, and eating food is more important than a similar person and eating situations within a 2-hour period without, any movement compensatory effects in bulimia nervosa. Chronicity of behavior is a diagnostic criteria for binge eating disorder (BED), described in the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM) in its fifth version. The objective of this work was to investigate BE in the people with obesity that was by the group study of obesity (GEO) in years from 2012 to 2015 and 2017, and correlate BE with insulin, in insulin resistance index TyG (produced of triglycerides and of glucose) in this population. The incidence of 37.4% of BE behaviors in the sample of 238 obese women of both sexes was found, with 19.3% of women being classified as binge eating, as well as 34.9% of men, not presenting this guy among the men and the women. The analysis of the BE and the index TyG through correlations (Spearman), from the part in the part of the gender, when it was the same when used to the sexual, was not significant. Data are still controversial in the literature, which presents works that correlate or are not an insulin resistance (usually by the HOMA-IR index) with BE or BED behaviors. For conclude, the TyG is a cheap and more affordable tool than the HOMA-IR index, for evaluation of insulin resistance in people with obesity; the study confirmed the present in the literature, with a higher prevalence of BE in people with obesity than without. The behavior of BE the non-BE not correlate with index to TyG, this behaviors is able to show correlates with others behavior psychiatric, as anxiety and depression
Keywords Obesidade
Compulsão alimentar
Resistência à insulina
TyG
Obesity
Binge eating
Insulin resistance
TyG
xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-coverage ISS
Language Portuguese
Date 2018-12-05
Published in AFFONSO, Luiz Henrique Lima. Relações entre a resistência à insulina e a compulsão alimentar na obesidade. 2018. 32 f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Educação Física) - Instituto de Saúde e Sociedade (ISS), Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos, 2018.
Knowledge area Promoção da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 32 f.
Access rights Closed access
Type Trabalho de conclusão de curso de graduação
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/51620

Show full item record




File

Name: LUIZ AFFONSO.PDF
Size: 1.053Mb
Format: PDF
Description: TCC completo
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account