Michel Foucault E A Constituição Do Sujeito Viril Na Sociedade Grega Antiga

Michel Foucault E A Constituição Do Sujeito Viril Na Sociedade Grega Antiga

Author Campos, Claudia Barbosa Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Silveira, Fernando De Almeida Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Interdisciplinar Em Ciências Da Saúde
Abstract Michel Foucault studied the historical constitution of the individual of sexuality. At the end of his work, he felt the need to rescue antiquity and analyze existing practices around sex in Greco-Roman society, seeking to understand the desire and desiring being as a sexual individual, producer of history, beyond the normalizing precepts of society Modern. Medical care in the form of prescriptions, which aim to keep the body in balance, are of great interest for this study, as well as the practices of caring for oneself, through the production of multiple forms of real discourses, among them: the feeding, the physical exercises and the regulation of a sexual conduct directed to the procreation. We also analyzed the issue of virility in food, household management, marriage, and love for boys. It is hypothesized that virility is not restricted to a male and female gender issue. The general aim of this research is to analyze the relationship between the use of pleasure and the constitution of the manly individual in classical Greek society - specifically in Athens in the fourth century B.C.. We propose to problematize the Greek referential on virility in its possible implications And reflections on a stylistic of existence in contemporary society, in its imbrications, both of genres - masculine and feminine; As well as ontological. For this, we carry out bibliographical research, through the narrative review of literature. We use as a central work The History of Sexuality II - The use of pleasures, and other related works. We analyze, in the course of this dissertation, virility from a gender identity being inserted in an aristocratic and masculine society. It is hypothesized that virility is not restricted to a male and female gender issue. It has been found that, although it may have departed from a prejudiced conception of feminine nature while structurally more fragile, and unstable, it has detached itself from the constitution of a stereotype, associated with an ontological virtue, which radiates to all individuals, In addition to its genre. We propose, further, to problematize the Greek reference on virility in its possible implications and reflections on a stylistic of the existence in contemporary society, in its overlaps, both of masculine and feminine genres; As well as ontological.

Michel Foucault estudou a constituição histórica do individuo da sexualidade. No final de sua obra, sentiu necessidade de resgatar a Antiguidade e analisar as práticas existentes em torno do sexo na sociedade greco-romana, buscando entender o desejo e o ser desejante enquanto individuo sexual, produtor de história, para além dos preceitos normalizadores da sociedade moderna. Os cuidados médicos em forma de prescrições, as quais visam manter o corpo em equilíbrio são de grande interesse para esse estudo, bem como as práticas de cuidado de si, através da produção de múltiplas formas de discursos de verdade, dentre elas, destacando-se: a alimentação, os exercícios físicos e a regulamentação de uma conduta sexual voltada para a procriação. Analisamos, também, a questão da virilidade na alimentação, na gestão do lar, no casamento e no amor pelos rapazes. Parte-se da hipótese de que a virilidade não se restringe a uma questão de gênero masculino e feminino. O objetivo geral dessa pesquisa consiste na análise da relação entre o uso dos prazeres e a constituição do individuo viril na sociedade grega clássica - especificamente em Atenas, no século IV a.C.. Propomos, ainda, problematizar o referencial grego sobre a virilidade em suas possíveis implicações e reflexões sobre uma estilística da existência na sociedade contemporânea, em suas imbricações, tanto de gêneros – masculino e feminino; quanto ontológicas. Para tal, realizamos pesquisa bibliográfica, por meio da revisão narrativa de literatura. Utilizamos como obra central A História da Sexualidade II – O uso dos prazeres, e demais obras relacionadas, Analisamos, no decorrer dessa dissertação, a virilidade a partir de uma identidade de gênero estando inserida em uma sociedade aristocrática e masculina. Parte-se da hipótese de que a virilidade não se restringe a uma questão de gênero masculino e feminino. Verificou-se que, embora possa ter partido de uma concepção preconceituosa da natureza feminina enquanto estruturalmente mais frágil, e instável, dela se descolou na constituição de um estereótipo, associável a uma virtude de cunho ontológico, a qual se irradia para todos os indivíduos, para além de seu gênero. Propomos, ainda, problematizar o referencial grego sobre a virilidade em suas possíveis implicações e reflexões sobre uma estilística da existência na sociedade contemporânea, em suas imbricações, tanto de gêneros – masculino e feminino; quanto ontológicas.
Keywords Foucault
Sexuality
Virility
Male Homosexuality
Child Abuse
Foucault
Sexualidade
Virilidade
Homossexualidade Masculina
Pederastia
Language Portuguese
Date 2017-06-14
Research area Ciências Humanas, Sociais E Saúde
Knowledge area Promoção, Prevenção E Reabilitação Em Saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 104p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5284453
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50350

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account