Inatividade física e fatores associados em adultos comparação entre o questionário internacional de atividade física e a acelerometria

Inatividade física e fatores associados em adultos comparação entre o questionário internacional de atividade física e a acelerometria

Autor Silva, Rodrigo Pereira da Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Dourado, Victor Zuniga Dourado Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências da Saúde
Resumo Introduction: Among the instruments available to assess the level of physical activity in daily life (LPADL), questionnaires are advantageous as easily applied to a large number of individuals and accelerometers, on the other hand, are more accurate. Recent studies have shown poor agreement between these methods. Hypothesis: We tested the hypothesis that the combination of the questionnaire and the accelerometer is the best strategy to assess the prevalence of physical inactive in adults. Objective: To evaluate and compare the proportion of physically inactive adults, identified by the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ), by triaxial accelerometry and by the combination of both. Methods: Two hundred and fifty-one participants aged 18 years and above were enrolled in a cross-sectional design. After obtaining clinical, demographic and anthropometric data, participants underwent the following assessments: spirometry, cardiopulmonary exercise testing (CPET), body composition (bioimpedance), isokinetic muscle function, postural balance (force platform), and six-minute walk test (6MWT). The LPADL was assessed by IPAQ, during seven days of triaxial accelerometry and the combination of both. Participants who obtained the total score < 600 MET-min/wk were considered physically inactive using IPAQ. Those that performed < 150 min/wk of moderate to vigorous physical activity were considered physically inactive in the accelerometer-based method. In the combined method we considered physically inactive those who presented the IPAQ and/or the accelerometer-based criteria. Additionally, for participants who reported practicing aquatic, martial arts or cycling, only the IPAQ total score was considered. The proportion of physically inactive individuals was compared between the evaluation methods. We also assessed the agreement between the IPAQ and accelerometry. Three multivariate logistic regression models for each one of the methods were developed and predictors were mutualy compared. Results: The proportion of physically inactive participants was significantly different between the evaluation methods (IPAQ = 10%; accelerometry = 20%, and combined method = 25%). The agreement between IPAQ and accelerometry was poor (kappa = 0.152, p = 0.01). Several demographic, anthropometric and physical fitness attributes were significantly associated with physical inactivity. After multivariate analysis, the main predictors using the IPAQ were age, fat body mass, family history of cardiovascular disease, dyslipidemia, and obesity. The determinants using accelerometry were age, sex, lean body mass (LBM), family history of cardiovascular disease and smoking. The combined method selected age, sex, LBM, family history of cardiovascular disease, dyslipidemia, obesity, smoking, peak V?O2 and postural balance. With the exception of dyslipidemia and family history of cardiovascular disease, the combined method showed better odds ratio values. Conclusion: The combination of the IPAQ and accelerometry to determine physical inactivity was more valid when compared to the aforementioned instruments separately. The proportion of physically inactive participants was higher and predictors of physical inactivity were more consistent using the combined approach proposed in the present study. Our results suggest that the most popular methods for assessing LPADL in epidemiological studies are complementary.

Introdução: Entre os instrumentos de avaliação do nível de atividade física na vida diária (NAFD) os questionários são vantajosos quanto à fácil aplicabilidade em grande número de indivíduos e os acelerômetros, por outro lado, são mais precisos. Estudos recentes mostraram 8 concordância pouco consistente entre esses métodos. A hipótese do presente estudo é de que a combinação do questionário e do acelerômetro seja a melhor estratégia para avaliar a proporção de indivíduos adultos fisicamente inativos.Objetivo: avaliar e comparar a proporção de adultos fisicamente inativos, identificados pelo questionário internacional de atividade física (IPAQ), pela acelerometria triaxial e pela combinação destes instrumentos. Métodos: Foram avaliados em uma amostra de conveniência 251 participantes com 18 anos ou mais em delineamento transversal. Após obtenção de dados demográficos e antropométricos, os participantes foram submetidos aos seguintes procedimentos: avaliação clínica, antropométrica, espirometria, teste de exercício cardiopulmonar (TECP), avaliação da composição corporal por impedância bioelétrica, avaliação da função isométrica e isocinética muscular, avaliação do controle postural em plataforma de força e teste de caminhada de seis minutos (TC6). O NAFD foi avaliado pelo IPAQ, por sete dias de utilização de um acelerômetro triaxial e pela combinação desses instrumentos. Foram considerados fisicamente inativos pelo IPAQ os participantes que obtiveram escore total do IPAQ < 600 MET-min/semana. Para o método de acelerometria pelo menos 150 min/semana de atividade física moderada a intensa foram considerados. No método combinado foram considerados fisicamente inativos os participantes que apresentaram IPAQ total < 600 MET-min/semana e/ou menos que 150 min/semana de atividade física moderada a intensa de acelerometria, Adicionalmente, para os participantes que relataram praticar atividades físicas aquáticas de combate/contato e ciclismo, apenas o IPAQ foi considerado. A proporção de indivíduos fisicamente inativos foi comparada entre os métodos de avaliação (teste x 2 ). A concordância deste diagnóstico entre o IPAQ e a acelerometria foi avaliada pelo índice Kappa. Foram elaborados três modelos de regressão logística multivarida utilizando-se a inatividade física como desfecho respectivamente determinada pelo IPAQ, pelo acelerômetro e pela combinação de ambos. Os preditores foram comparados para identificar o método com maior validade para determinar a inatividade física. Resultados: a proporção de participantes fisicamente inativos foi significativamente diferente entre os métodos de avaliação (IPAQ = 10%; aceleromtria = 20%; e método combinado = 25%). A concordância entre o IPAQ e a acelerometria para este diagnóstico foi fraca (Kappa = 0,152; p = 0,01). Diversos atributos demográficos, antropométricos e índices de aptidão física se associaram significativamente com a inatividade física em todas os métodos de avaliação. Após as análises multivariadas, os principais preditores utilizando o IPAQ foram idade, gordura corporal, histórico familiar de doença cardiovascular, dislipidemia e obesidade. Os determinantes utilizando a acelerometria foram idade, sexo, massa magra corporal (MMC), histórico familiar de doença cardiovascular e tabagismo. O método combinado foi aquele que apresentou o maior número de preditores significativos: idade, sexo, MMC, histórico familiar de doença cardiovascular, dislipidemia, obesidade, tabagismo, pico de consumo de O2 no TECP e o equilíbrio em plataforma de força (área do centro de pressão). Com exceção da dislipidemia e o histórico familiar de doença cardiovascular, os demais preditores apresentaram valores de OddsRatio mais importantes quando a inatividade física foi determinada pelo método combinado. Conclusão: a combinação do questionário IPAQ e acelerometria para determinar a inatividade física mostrou ser mais válida quando comparada aos instrumentos supracitados separadamente. A proporção de participantes fisicamente inativos foi maior e os preditores da inatividade física foram mais consistentes utilizando o método combinado proposto pelo presente estudo. Nossos resultados sugerem que os principais métodos de avaliação do NAFD utilizados comumente em estudos epidemiológicos são complementares.
Assunto inatividade física
questionário
acelerometria
adultos
fatores associados
Idioma Português
Data 2015-05-27
Publicado em SILVA, Rodrigo Pereira da. Inatividade física e fatores associados em adultos comparação entre o questionário internacional de atividade física e a acelerometria. 2015. 43 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos, 2015.
Linha de pesquisa Interdisciplinar
Área de concentração Multidisciplinar
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 43 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=2483111
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48611

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)