Comparação de transplantes hepáticos pediátricos submetidos à transecção hepática exsitu com ou sem a utilização da esponja de fibrinogênio e trombina humana

Comparação de transplantes hepáticos pediátricos submetidos à transecção hepática exsitu com ou sem a utilização da esponja de fibrinogênio e trombina humana

Autor Vicentine, Fernando Pompeu Piza Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Gonzalez, Adriano Miziara Gonzalez Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Ciência Cirúrgica Interdisciplinar
Resumo Introduction: Pediatric liver transplantation has a low number of donor, leading for a high mortality in the awaiting list. A strategy for increase the number of liver transplantation is the utilization of ex-situ liver transection (reduction or split), but this technique is not free of complications such as hemorrhage of the wound area and bile leak. The fibrinogen and thrombin human sponge, is a tool for the hemostasis in the liver surgery. The use of fibrinogen and thrombin human sponge is described in the literature for hemostasis in liver resection, and new papers reported its use in the liver transplantation field. Aims: Compare the pediatric liver transplantation with the ex-situ liver transection (reduction or split) with or without the utilization of fibrinogen and thrombin human sponge. Methods: Were analyzed prospectively 21 patients underwent liver transplantation with ex-situ liver transection (reduction or split) with the utilization of fibrinogen and thrombin human sponge in the wound area (group A), and retrospectively 59 patients underwent liver transplantation with ex-situ liver transection (reduction or split) without the sponge (group B). Results: Recipient and donor characteristics were similar in both group. In the group A 85,7% patients underwent to split liver transection and in group B 61% (p = 0,056). When we compare the number of reoperations we did not found difference in both group, but we observed a lower number of reoperation caused by hemorrhage of the wound area in the group A (14,2%) comparing to the group B (41,7%), p = 0,029. Regarding bile leak in the wound area there was no difference in both group (A: 17,6%, B: 5,1%, p = 0,14). Conclusion: Comparing both groups, in this population, there was a small number of reoperations by hemorrhage of wound area in pediatric patients underwent liver transplantation with ex-situ liver transection (reduction or split) with the fibrinogen and thrombin human sponge.

Introdução: O transplante pediátrico hepático apresenta um baixo número de doadores, levando assim à uma alta taxa de mortalidade na lista de espera. Uma estratégia para aumentar o número de transplantes de fígado é a utilização da técnica de transecção hepática ex-situ (redução ou split), mas esta técnica não está livre de complicações, tais como hemorragia da área da cruenta e fístula biliar. A esponja de fibrinogênio e trombina humana é uma ferramenta para a hemostasia no campo da cirurgia hepática e seu uso é descrito na literatura para a hemostasia da ressecção hepática, sendo que novos artigos relataram a sua utilização no campo do transplante hepático. Objetivos: Comparar o transplante hepático pediátrico com a técnica de transecção hepática ex-situ (redução ou split) com ou sem a utilização da esponja de fibrinogênio e trombina humana. Métodos: Foram analisados prospectivamente 21 pacientes submetidos ao transplante hepático com transecção hepática ex-situ (redução ou split) com a utilização da esponja de fibrinogênio e trombina humana (grupo A), e, retrospectivamente, 59 pacientes que foram submetidos ao transplante hepático com transecção hepática ex-situ (redução ou split) sem a esponja (grupo B). Resultados: No grupo A 85,7% pacientes foram submetidos a técnica de split e no grupo B de 61% (p = 0,056). Características dos receptores e dos doadores foram semelhantes em ambos os grupos. Quando comparamos o número de reoperações por sangramento não encontramos diferença em ambos os grupos, porém observou-se um menor número de reoperação causada por hemorragia da área cruenta no grupo A (14,2%) em relação ao grupo B (41,7%), p = 0,029. No que diz respeito à fístula biliar na área cruenta, não houve diferença nos dois grupos (A: 17,6%, B: 5,1%, p = 0,14). Conclusão: Comparando-se os dois grupos, observamos nesta população estudada que houve um menor número de reoperações por sangramento da área cruenta do enxerto hepático quando utiliza-se a esponja de fibrinogênio e trombina humana.
Assunto transplant
liver transplant
aplitting liver
hemostasis
waiting list
transplante
transplante hepático
bipartição hepática
hemostasia
lista de espera
Idioma Português
Data 2016-08-30
Publicado em VICENTINE, Fernando Pompeu Piza. Comparação de transplantes hepáticos pediátricos submetidos à transecção hepática exsitu com ou sem a utilização da esponja de fibrinogênio e trombina humana. 2016. 74 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.
Linha de pesquisa Medicina
Área de concentração Ciências da saúde
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 74 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3726763
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47985

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)