Um estudo sobre a resistência e ofensiva na luta dos atingidos pela Vale : nos caminhos dos trilhos no Maranhão

Um estudo sobre a resistência e ofensiva na luta dos atingidos pela Vale : nos caminhos dos trilhos no Maranhão

Author Sousa, Maria Gorete de Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Amadeo, Javier Amadeo Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Ciências Sociais
Abstract The approach of this study privileges the social, cultural, environmental and economical impacts of the action of Vale Company on the rural workers' communities, as well as the participation of the State in the public-private relations. It intends to follow and evaluates the rural workers' self-organization, resistance and lead struggle. The Grande Carajás Region, focus of this research, presents historically a significant rural population, and this predicates an impact particularly dramatic that Vale Project causes on the conformation of the region, considering the agricultural production and traditional uses of the natural resources. The region comprehends the southeast and south of Paraná and Maranhão States. The five projects going on affect mainly the Canaã dos Carajás, Parauapebas and Marabá communities, all of the in Para State. It takes place in Paraupebas the implementation of infra-structures, as part of the Salobo Project, for the extraction and transformation of copper ores. From the expansion of Ponta da Madeira Port, in São Luis, it follows the doubling of the whole chain of ore export. That implies in the exploitation of new mines and rail doubling. This enlargement means, in fact, increasing of the pollution with social-environmental impacts on the corridor of Carajás, considering the process of environmental licensing, from the relation that Vale creates with the Government. Consequently, there is a reaction from civil society and organized social movements due to the impact caused by Vale's activities. Because of the escalation of these social and environmental harmful consequences, a result of a model of development, which is unequal and that concentrates income and richness, it's necessary to understand this new configuration of the capital and the Brazil's role in this context. Observing the meaning of the capitalism today to the rural communities in Açailândia (Maranhão) and Parauapebas (Pará), especially with the creation of the Grande Carajás Project. It will be considered the traditional ways of land occupation and organization of the affected communities' ways of life, so that to resist the eviction from their territories they organize struggles against the hegemonic capitalist model and resistance to the ways imposed by Vale, in Maranhão.

A abordagem deste estudo privilegia os impactos econômicos, sociais, culturais e ambientais das ações da Empresa Vale sobre as comunidades de trabalhadores do campo e entorno, bem como a participação do Estado na relação público-privado. Pretende acompanhar e avaliar os processos de auto-organização, de resistência e de luta ofensiva dos trabalhadores do campo. A região do Grande Carajás, foco desta pesquisa, historicamente apresenta uma população rural significativa, o que pressupõe um impacto particularmente dramático que o projeto da Vale provoca na configuração da região, tendo em vista a produção agrícola e o uso tradicional dos bens da natureza. A região compreende o sudoeste e sul dos Estados do Pará e Maranhão. Os cinco projetos que atualmente estão sendo implementados atingem, principalmente, as comunidades de Canaã dos Carajás, Parauapebas e Marabá, no Pará. Em Parauapebas ocorre a implantação de infraestruturas do projeto Salobo para a extração e transformação de minério de cobre. Da expansão do porto de Ponta da Madeira, em São Luís, decorre a duplicação de toda cadeia de exportação do minério, o que implicará a exploração de novas minas e a duplicação dos trilhos. Essa ampliação significa, na verdade, aumento da poluição e dos impactos socioambientais no corredor de Carajás, tendo em vista o processo de licenciamento ambiental, a partir da relação que a Vale estabelece com o Estado. Consequentemente, verifica-se a reação da sociedade civil e dos movimentos organizados aos impactos causados pelas atividades da Vale. Devido à intensificação das consequências sociais e ambientais nocivas do modelo de desenvolvimento desigual e concentrador, é necessário compreender a nova configuração do capital e a função do Brasil nesse contexto. Observando o significado do capitalismo em sua fase atual face às comunidades rurais de Açailândia (Maranhão) e Parauapebas (Pará), sobretudo com a criação do Projeto Grande Carajás. Serão, portanto, consideradas as formas tradicionais de ocupação da terra e organização do modo de vida das comunidades atingidas que, para resistir à expulsão de seus territórios, organizam lutas contra hegemônicas ao modelo capitalista e de resistência aos caminhos traçados pela Vale, no Maranhão.
Keywords Resitance
Offensive
Affected by Vale
Resistência
Ofensiva
Atingidos pela Vale
Language Portuguese
Date 2013-02-28
Published in SOUSA, Maria Gorete de. Um estudo sobre a resistência e ofensiva na luta dos atingidos pela vale: nos caminhos dos trilhos no Maranhão. 2013. 112 f. Dissertação (Mestrado) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2013.
Research area Sociologia
Knowledge area Ciências humanas
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 112 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=617823
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47714

Show full item record




File

Name: DISSERTACAO MARIAGORETE FINAL.pdf
Size: 3.687Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account