Conhecimento de estudantes de graduação de educação física sobre a saúde da mulher atleta

Conhecimento de estudantes de graduação de educação física sobre a saúde da mulher atleta

Author Pascom, Graziela Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Sartori, Marair Gracio Ferreira Sartori Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Medicina (Ginecologia)
Abstract This study aimed to assess physical education students? knowledge of female athlete health. Methods: The sample for this study comprised 310 male and female students (mean age of 23.3 ± 5.7 years). They were second-, third- and fourth-year or equivalent students enrolled in undergraduate programs in physical education (PE) at the Centro Universitário de Jales (UNIJALES), Fundação Educacional de Fernandópolis (FEF), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho ? Rio Claro Campus (UNESP) in the state of São Paulo, and the Universidade Federal de Lavras (UFLA) in the state of Minas Gerais, southeastern Brazil. Data collection was carried out using a tool developed by the author, a self-administered questionnaire consisting of 11 questions on physiological gender differences; interference of menstrual cycle and contraceptive use on athletic performance in female athletes; urinary incontinence; and the female athlete triad. Results: Of all respondents, 93.5% said there were physiological gender differences and that they should be taken into consideration in exercise prescription; 79.4% said the menstrual period could affect athletic performance and 80% said it could affect competitive performance in female athletes; and 81% said there was a specific phase in the menstrual cycle that could have a positive effect on exercise training. Of these latter respondents, 64.7% said the optimal training time was after the menstruation; 26.8% said it was before the menstruation; and only 2.0% said it was during the menstrual period. Most respondents (69.7%) believed female athletes did not have urinary incontinence and 66% reported track and field, artistic gymnastics, basketball, and volleyball as sport modalities associated with an increased risk of urinary incontinence. Almost all respondents (99.0%) said inadequate diet might affect performance in female athletes; 43.5% said the use of contraceptive pills could interfere with their athletic performance; and 63.7% believed the pill had a negative effect. AS for the female athlete triad, 82.3% have never heard of it and 73.2% were not able to describe it. Conclusions: The proposed questionnaire successfully fulfilled its purpose. Basic knowledge questions on physiological gender differences, sport modalities associated with increased risk of urinary incontinence, importance of adequate diet for good athletic performance were clear and easy to understand. PE students? knowledge on contents specific to female athletes including interference of the menstrual cycle on performance during training and/or competition, the optimal phase of the menstrual cycle for training, risk of urinary incontinence, interference of contraceptive use on athletic performance in female athletes, and the female athlete triad proved inadequate and evidenced a need for more qualified training. This study also provided input on the central role of physical educators and showed a need to expand the theoretical knowledge of PE undergraduate students.

Objetivo: avaliar o conhecimento dos estudantes de graduação de Educação Física sobre a saúde da mulher atleta. Métodos: Participaram do estudo 310 estudantes de ambos os gêneros, com idade média de 23,3±5,7 anos, dos segundo, terceiro e quarto anos ou períodos correspondentes, regularmente matriculados nos cursos de Educação Física do Centro Universitário de Jales (UNIJALES), Fundação Educacional de Fernandópolis (FEF), Universidade Estadual Paulista ?Júlio de Mesquita Filho? ? Campus de Rio Claro (UNESP), SP e, Universidade Federal de Lavras (UFLA), MG, Brasil. Utilizou-se como instrumento para a coleta dos dados um questionário autoaplicável elaborado pela autora, contendo 11 questões com perguntas a respeito do conhecimento do estudante de Educação Física sobre diferenças fisiológicas dos gêneros, interferência do ciclo menstrual no desempenho esportivo, interferência do uso de contraceptivos, incontinência urinária e Tríade da Mulher Atleta. Resultados: Dos entrevistados, 93,5% responderam sim, que existiriam diferenças fisiológicas entre os gêneros e que deveriam ser levadas em consideração no momento da prescrição de exercícios. Dos respondentes, 79,4% apontaram que a menstruação atrapalha o desempenho da atleta. Quando questionados sobre se a menstruação poderia atrapalhar o desempenho da atleta durante uma competição, 80% responderam que sim. Foi perguntado se existiria algum período do ciclo menstrual em que o treinamento seria melhor, 81% responderam que sim. Daqueles que responderam sim a esta questão, 64,7% citaram que o melhor período para treinar seria depois da menstruação, 26,8% escolheu antes da menstruação e, apenas 2,0% durante o fluxo menstrual. A maioria dos entrevistados (69,7%) achou que as atletas não têm incontinência urinária e 69,7% deles definiram como grupos de esportes de risco o atletismo, a ginástica artística, o basquete e o voleibol. 99,0% acharam que a alimentação inadequada poderia interferir no desempenho da atleta. O contraceptivo hormonal poderia interferir no desempenho da atleta na opinião de 43,5% dos entrevistados. Sobre a influência do contraceptivo hormonal no rendimento esportivo, 63,7% respondeu que teria efeito negativo. 82,3% dos sujeitos nunca ouviram falar em Tríade da Mulher Atleta e 73,2% não souberam explicar o que é. Conclusão: O questionário proposto cumpriu com o objetivo pelo qual foi desenvolvido. Os conhecimentos básicos sobre as diferenças fisiológicas entre os gêneros, esportes que podem favorecer o aparecimento da incontinência urinária, a importância da alimentação para o bom rendimento, foram colocados com certa facilidade e de senso comum. Os conteúdos específicos e inerentes à mulher atleta, tais como: a menstruação atrapalhar o desempenho da atleta durante o treino e/ou competição, qual melhor período do ciclo menstrual para se treinar, incontinência urinária em atleta, interferência da pílula anticoncepcional no desempenho da atleta e o que é e qual o conhecimento sobre a Tríade da Mulher Atleta, evidenciou-se que o futuro profissional de Educação Física necessita de uma formação mais qualificada. Este estudo também pode prestar contribuições sobre a importância do papel do profissional da área da Educação Física, ampliando os subsídios teóricos para o embasamento de ações eficazes no debate com os cursos de graduação.
Keywords physical education
health
female athlete
educação física
saúde
mulher atleta
Language Portuguese
Date 2014-06-30
Published in PASCOM, Graziela. Conhecimento de estudantes de graduação de educação física sobre a saúde da mulher atleta. 2014. 71 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 71 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1929842
Access rights Closed access
Type Thesis
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47558

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account