Visitando o museu pela porta dos fundos: vigilantes e transportadores de obras de arte e a ressignificação do habitus

Visitando o museu pela porta dos fundos: vigilantes e transportadores de obras de arte e a ressignificação do habitus

Autor Santos, Bruno Marco Cuer dos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Consolim, Marcia Cristina Consolim Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Ciências Sociais
Resumo This research aims at investigating the relationship between non-skilled workers and the artistic field through their labor routine among different hiring process: public employees, subcontracted and also those hired directly by the museum. Two specific categories have been selected: museum guards and fine arts road haulers at two of the main museums in São Paulo city: Museum of Modern Art (MAC-SP) and Museum of Contemporary Art of São Paulo University (MAC-USP). We could verify that the labor relationship can indicate differences related to the way that the agents interact within the symbolic universe they are exposed by their labor journey. It is possible to verify ruptures with the habitus as well as certain positions and class representations through future generations opposing, thus, public employees compared to the workers hired by the museum or even those subcontracted. It means that, the stronger employment relationship may generate possibilities of social mobility by the symbolic capital, while the weaker employment relationship might reveal low possibilities of rupture with both: class position and origin.

Busca-se com esta pesquisa investigar a relação que trabalhadores não especializados dentro do campo artístico possam desenvolver com a arte por meio da rotina de trabalho através de diferentes vínculos: funcionalismo público, terceirizados e aqueles contratados diretamente pelo museu. Foram selecionadas duas categorias específicas: vigilantes e transportadores de obras de arte que trabalham ou prestam serviço em dois dos principais museus da cidade de São Paulo: Museu de Arte Moderna (MAC-SP) e Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP). Verificou-se que o vínculo trabalhista dessas categorias não especializadas dentro dos museus diferencia a relação destes agentes com o universo simbólico a que são expostos pela via do trabalho. São mudanças de longa duração, indicando ruptura com o habitus, bem como determinadas posições e representações de classe através de gerações posteriores, o que opõe funcionários públicos em relação aos funcionários contratados por vínculo direto ou terceirizados, ou seja, quanto mais forte o vínculo, maior a possibilidade de ascensão social pelo aporte de capital simbólico, ao passo que quanto mais fraco o vínculo empregatício, menor a possibilidade de ruptura com uma posição de classe e de origem.
Assunto museum
work
specialization
subcontracting
habitus
artistic field
work
specialization
subcontracting
habitus
artistic field
museu
trabalho
especialização
terceirização
habitus
campo artístico
Idioma Português
Data 2015-09-03
Publicado em SANTOS, Bruno Marco Cuer dos. Visitando o museu pela porta dos fundos: vigilantes e transportadores de obras de arte e a ressignificação do habitus. 2015. 157 f. Dissertação (Mestrado) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2015.
Linha de pesquisa Sociologia
Área de concentração Ciências humanas
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 157 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3348002
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47329

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)