Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46936
Title: Os modelos em saúde mental de santos e São Paulo e a política nacional de saúde mental: a história desvelada
Authors: Marcolan, Joao Fernando Marcolan [UNIFESP]
Vieira, Marcia do Nascimento [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Keywords: health policy
mental health community services
history
política de saúde
serviços comunitários de saúde mental
história
Issue Date: 6-Jul-1905
Publisher: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: VIEIRA, Marcia do Nascimento. Os modelos em saúde mental de santos e São Paulo e a política nacional de saúde mental: a história desvelada. 2014. 468 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Abstract: The National Mental Health Policy has a recent history and it was only possible after a period of great social mobilization during the democratization of the country and through important social movements such as the Health System Reform and the Psychiatric Reform. Experiences considered innovative in Mental Health occurred in the cities of Santos and São Paulo between the decades of 1980-1990, and are considered references in choosing the CAPS (Center of Psychosocial Attention) model, substituting the psychiatric hospital service and guiding this policy. This study analyzes the influence of these experiences in choosing the CAPS model using as a Methodology the thematic oral History, through the narratives of social actors (our colabordores) who participated in its implementation in the cities mentioned above as well as representatives from the Ministry of Health who lead the National Mental Health Policy at the time. The conclusion is that the influence of the model used in Santos was predominant in ideological aspects due to the greater penetration of its representatives in political parties (Labor Party) of the state. The innovative experience of a Mental Health Policy being created in the city of São Paulo was excluded from the official history and CAPS (Center of Psychosocial Attention) Itapeva, an independent service of local Mental Health was maintained as an inspiration for choosing the current CAPS. The National Mental Health Policy has been trying for the past twelve years to implement a Specialized and guided service within the psychiatric paradigm, this is due to the fact that the institutionalization concept still persists. This scenario is far from the anti-institutionalization propositions that were originated from the Brazilian Psychiatric Reform presented in the first National Mental Health Conferences.
A Política Nacional de Saúde Mental tem história recente, e se mostrou possível após período de grande mobilização social durante a redemocratização do País, por meio de importantes movimentos sociais como a Reforma Sanitária e a Reforma Psiquiátrica. Experiências consideradas inovadoras em Saúde Mental ocorreram nos municípios de Santos e São Paulo entre as décadas de 1980-1990, e são apresentadas como referências na escolha do modelo CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), serviço substitutivo ao hospital psiquiátrico e norteador desta política. Neste estudo analisamos a influência destas experiências na escolha do modelo CAPS, utilizando como Metodologia a História oral, por meio das narrativas de atores sociais (nossos colaboradores) que participaram de sua execução nos municípios mencionados, assim como de representantes do Ministério da Saúde que estavam à frente da Política Nacional de Saúde Mental dessa época. Concluímos que a influência do modelo santista foi predominante nos aspectos ideológicos em decorrência da maior penetração de seus representantes na esfera política e partidária (Partido dos Trabalhadores) no aparelho estatal. A experiência inovadora de Política de Saúde Mental construída na cidade de São Paulo foi excluída da história oficial, e o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) Itapeva, serviço estadual independente da rede de Saúde Mental municipal foi mantido como serviço inspirador para a escolha do CAPS atual. A Política Nacional de Saúde Mental vem tentando ao longo dos doze anos desta escolha implantar um modelo centrado em serviço especializado e pautado na sua execução no paradigma psiquiátrico, por não ter havido superação da lógica manicomial. Tal contexto demonstra distanciamento das proposições antimanicomiais originárias da Reforma psiquiátrica brasileira presentes nas primeiras Conferenciais Nacionais de Saúde Mental.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46936
Other Identifiers: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1623127
Appears in Collections:Tese de doutorado

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.