A teoria do realinhamento eleitoral no Brasil: apropriações e hipóteses

A teoria do realinhamento eleitoral no Brasil: apropriações e hipóteses

Autor Lage, Daniel Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Rocha, Antonio Sergio Carvalho Rocha Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Ciências Sociais
Resumo This work focuses on the theory of electoral realignment comprehending it as powerful lens for analysis of democratic processes in the long term. The present work starts with a study of the origins and development of such theory in the United States, followed by the analysis of its use in Brazil, reviewing and mapping the adaptation demands of the theory to the brazilian reality. Instead of the idea of an electoral realignment in the 2006 presidential election, it is hypothesized an electoral alignment as a important consolidation moment of the relation between party and social base in the young brazilian democracy - wich should be conserdered before the possibility of realignment itself. Therefrom, this study try to find a long-term interpretive scheme for the period 2002 to 2014. The notion of strategic interaction between the voter's choice and the choice of the parties in elections take place in the center of the analytical model. Thus, the hypothesis of alignment sum up with the class reconciliation experience held in PT governments, characterizing a particular experience of social democracy.

O presente trabalho debruça-se sobre a teoria do realinhamento eleitoral tomando-a como uma lente potente para análise dos processos democráticos no longo prazo. No início do trabalho, faz-se uma pesquisa das origens e desenvolvimentos de tal teoria nos Estados Unidos e em seguida, a forma como ela foi utilizada no Brasil, revisando e levantando as exigências de aclimatação da teoria à realidade brasileira. A partir da crítica à ideia de que ocorreu um realinhamento eleitoral na eleição presidencial de 2006, é levantada a hipótese de alinhamento eleitoral como momento de consolidação da relação entre partido e base social na jovem democracia brasileira ? anterior à possibilidade do realinhamento. Com essa hipótese em mente, busca-se encontrar um esquema interpretativo para o período de 2002 a 2014. A noção de interação estratégica entre a escolha dos eleitores e as escolhas dos partidos nas disputas eleitorais é colocada no centro do esquema. Assim, a hipótese do alinhamento soma-se com a experiência de conciliação de interesses de classe realizada nos governos petistas, caracterizando uma experiência particular de socialdemocracia.
Assunto electoral realignment
elections
workers party
democracy
social democracy
realinhamento eleitoral
eleições
partido dos trabalhadores
democracia
socialdemocracia
Idioma Português
Data 2016-09-16
Publicado em LAGE, Daniel. A teoria do realinhamento eleitoral no Brasil: apropriações e hipóteses. 2016. 128 f. Dissertação (Mestrado) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2016.
Linha de pesquisa Sociologia
Área de concentração Ciências humanas
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 128 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3766661
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46714

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)