Validação dos critérios de classificação para esclerose sistêmica do acr/eular 2013 em uma população ambulatorial do Brasil

Validação dos critérios de classificação para esclerose sistêmica do acr/eular 2013 em uma população ambulatorial do Brasil

Author Araujo, Farley Carvalho Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Silva, Cristiane Kayser Veiga da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Tecnologias e Atenção à Saúde
Abstract Objectives: The 1980 classification criteria for systemic sclerosis (SSc) have shown poor sensibility and do not contain important tools for the diagnosis of SSc. To improve sensitivity, the 2013 ACR/EULAR classification criteria for SSc were developed. Our research aimed to validate new ACR/EULAR criteria in brazilian patients with SSc and SSclike disorders. Secondary objectives were to evaluate the accuracy of the new criteria in early SSc patients, to evaluate different cut-off points for the new criteria, and to compare the sensitivity and the specificity of the new criteria with the 1980 classification criteria. Materials and methods: This was a cross-sectional study. The clinical and demographical data of SSc patients and patients with SSc-like disorder were collected using a standardized questioner and by the revision of their medical records. Results: A total of 319 patients were included, including 178 patients with SSc (122 with stablished SSc and 56 wih early SSc), and 141 controls. The mean age was higher in SSc patients than in the controls (51.3 versus 42.1 years, p<0.001). The 1980 criteria demonstrated a sensitivity of 68.5%, while the ACR/EULAR 2013 criteria demonstrated a sensitivity of 77.5% (p<0.001), without loss of the specificity (100% versus 98.5% for the 1980 criteria and the ACR/EULAR 2013 criteria, respectively). Sixteen of the 56 patients with early SSc (28.5%) fulfilled the ACR/EULAR 2013 criteria. Evaluating only the group of early SSc patients with Raynaud?s phenomenon and with positivity for specific autoantiboies plus scleroderma pattern (SD) in capillaroscopy, the ACR/EULAR 2013 criteria presented a higher sensitivity (95.5%), without loss of the specificity. Using a higher weight for the SD pattern in capillaroscopy (03 points), the sensitivity of the new criteria was of 100%. The group of patients with early SSc patients who were classified as SSc according the 2013 criteria showed a higher frequency for puffy fingers, fingertip pitting scars, pulmonary arterial hypertension and/or interstitial lung disease, telangiectasias, sclerodactyly and hemorrhages on capilaroscopy compared to patients who did not fulfilled the new criteria. ROC curve showed an area under curve of 0.999 (CI95% 0.998-1.000; p<0.001) when we compared the control group with patients with established SSc plus early SSc with specific autoantibodies and capilaroscopic SD pattern. The best cut-off was of ? 8 (sensitivity 100%; specificity 98%; positive likelihood ratio 47.6%; negative likelihood of 0). Conclusion: The ACR/EULAR 2013 classification criteria showed better sensitivity than the 1980 classification criteria. The new criteria presented validity and are a good option to classify SSc patients. To reduce the cut-off to 8 points can improve sensitivity, keeping 10 specificity. The increase in the weight for capilaroscopic SD pattern to 03 points improved the performance of the 2013 classification criteria.

Objetivos: Os critérios de classificação para esclerose sistêmica (ES) de 1980 se mostraram pouco sensíveis, além de não incorporarem domínios e ferramentas diagnósticas importantes para o diagnóstico da ES. Visando aumentar a sensibilidade dos critérios de 1980, novos critérios de classificação da ES foram propostos em 2013 por um comitê do Colégio Americano de Reumatologia (ACR) e da Liga Europeia Contra o Reumatismo (EULAR). O presente estudo tem como objetivo validar os novos critérios de classificação para ES do ACR/EULAR de 2013 em uma coorte de pacientes brasileiros com ES e doenças similares. Como objetivos secundários pretendemos avaliar a acurácia dos novos critérios de classificação para ES em pacientes com ES precoce, avaliar diferentes pontos de corte dos critérios de classificação em uma população ambulatorial, e comparar sensibilidade e especificidade dos novos critérios em relação aos critérios de 1980 na população estudada. Materiais e métodos: Foi realizado estudo transversal, no qual foram incluídos consecutivamente pacientes ambulatoriais com ES e com doenças semelhantes a ES (grupo controle). Foram coletados dados clínicos e demográgicos a partir de questionário padronizado e revisão de prontuário. Resultados: Foram incluídos 319 pacientes, sendo 178 com ES, incluindo 122 com ES estabelecida e 56 com ES precoce, além de 141 do grupo controle. A média de idade foi mais elevada nos pacientes com ES em comparação aos controles (51,3 versus 42,1 anos, p<0,001). Avaliando os 178 pacientes com ES, encontramos uma sensibilidade de 68,5% com os critérios de 1980, que aumentou para 77,5% com os critérios do ACR/EULAR de 2013 (p<0,001), sem perda da especificidade (100% versus 98,5% para os critérios de 1980 e do ACR/EULAR de 2013, respectivamente). Dos 56 pacientes com ES precoce, 28,5% (n=16) deles passaram a preencher os novos critérios do ACR/EULAR de 2013. Ao incluirmos apenas pacientes ES precoce com fenômeno de Raynaud (FRy), capilaroscopia padrão SD (scleroderma pattern) e autoanticorpos específicos, os critérios do ACR/EULAR de 2013 apresentaram melhor sensibilidade (95,5%), sem perda da especificidade. Quando atribuímos maior peso à capilaroscopia padrão SD, obtivemos ótimo desempenho, com sensibilidade de 100%. Ao compararmos os pacientes com ES precoce que preencheram os critérios de 2013 em detrimento aos que não preencheram, aqueles que preencheram os critérios do ACR/EULAR de 2013, apresentavam uma frequência significativamente maior de edema de dedos, microcicatrizes, hipertensão arterial pulmonar e/ou pneumopatia intersticial, telangiectasias, esclerodactilia e hemorragias à capilaroscopia. Pela curva ROC, ao compararmos o grupo controle com pacientes com ES estabelecida e ES precoce com 8 capilaroscopia padrão SD e anticorpos específicos presentes, observamos uma área sob a curva de 0,999 (p<0,001 e IC95% 0,998 ? 1,000) para os critérios do ACR/EULAR de 2013. O melhor ponto de corte ficou definido como ? 8 (sensibilidade:100%; especificidade:98%; razão de probabilidade positiva:47,6; razão de probabilidade negativa:0). Conclusão: Demonstramos que os critérios do ACR/EULAR de 2013 apresentam melhor sensibilidade do que os critérios de 1980. Os mesmos apresentaram validade e se constituem em uma boa opção para classificar pacientes com ES. Reduzir o ponto de corte para 8 pontos pode aumentar a sensibilidade dos critérios, sem prejuízo da especificidade. Aumentar o peso da capilaroscopia padrão SD no conjunto de critérios melhora a performance dos mesmos.
Keywords classification criteria
systemic sclerosis
validation
esclerose sistêmica
validação
critérios de classificação
Language Portuguese
Date 2016-10-26
Published in ARAUJO, Farley Carvalho. Validação dos critérios de classificação para esclerose sistêmica do acr/eular 2013 em uma população ambulatorial do Brasil. 2016. 69 f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 69 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=4906021
Access rights Closed access
Type Dissertação de mestrado profissional
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46495

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account