Condições e organização do trabalho no SUS em dois hospitais públicos sob diferentes formas de gestão na perspectiva de médicos e enfermeiros

Condições e organização do trabalho no SUS em dois hospitais públicos sob diferentes formas de gestão na perspectiva de médicos e enfermeiros

Título alternativo Working organization and conditions in the SUS in two public hospitals under different management forms from the perspective of physicians and nurses
Autor Costa, Sheila Araujo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lacaz, Francisco Antonio de Castro Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Saúde Coletiva – EPM
Resumo This study aims to capture and analyze, from the perspective of physicians and nurses, the working organization and conditions in two hospitals under different management forms -- direct administration- Adm and social organization – OS- both components of the public health system of a large municipality of greater São Paulo. As a major methodological step, the Questionnaire on Working Conditions (qCT) was validated in its quantitative dimension as an instrument for evaluating the working organization and conditions. In a second moment, in a quantitative study, the qCT was applied, objectifying to identify and discuss the working organization and conditions of nurses and physicians in two hospitals under different management forms. The sample of the first phase consisted of 689 health professionals working in the public health system under the Health Secretary management. The analysis of the main components has shown the existence of six factors, grouped by pairs in three sets, all of which have shown high internal consistence, with Cronbach's alpha of 0.96 and Confirmatory Factor Analysis ≥ 90 (values above 90 being accepted). The data indicates that the Working Conditions Questionnaire reliably reproduces the structure of the assumed theoretical model and combines the necessary technical properties that allow working conditions in health services to be properly reviewed. In the second phase, 181 questionnaires were answered, distributed as follows: 88 in the Adm hospital and 93 in the OS hospital. At the Adm hospital, 54 were doctors and 39 were nurses. At the OS hospital 57 were doctors and 31 were nurses. The categorical data were presented by frequencies and proportions, while the numerical data were described by means and standard deviations. Analyzing the answers obtained, a tendency is drawn, notably among physicians, of acceptance of private employment bonds, and even valuation of the private sector. Among the nurses, it is noted the ambiguity in relation to working conditions and answers marked by acquiescent attitudes towards the rules of the organization. These positionings are analyzed through a theoretical referential which places hospital assistance under OS management as an enterprise turned advantageous in a context of appropriation of public funds by failing medical businesses, with an imposition of instability of employment bonds and colonization of the public sphere by neoliberal values, such as entrepreneurship, massively propragandized by mass media and accepted by the middle classes, to which most of the physicians and nurses which took part in this research belong to.

Este trabalho tem como objetivo analisar, na perspectiva de médicos e enfermeiros, as condições e a organização do trabalho em dois hospitais sob diferentes formas de gestão - Administração Direta (ADM) e Organização social (OS) - ambos componentes do sistema público de saúde de um município de grande porte da região metropolitana de São Paulo. Como passo metodológico procedeu-se à validação do Questionário sobre Condições de Trabalho – qCT, em sua dimensão quantitativa, como instrumento de avaliação da organização e das condições de trabalho. Em um segundo momento, em estudo de cunho quantitativo, foi aplicado o qCT, objetivando identificar e discutir as condições de trabalho dos enfermeiros e médicos em relação às diferentes formas de gestão. Na validação foram utilizados 689 questionários respondidos por profissionais dos serviços públicos de diferentes níveis de atenção sob gestão da Secretaria de Saúde do município estudado. A análise dos principais componentes evidenciou a existência de seis fatores agrupados em três pares de escalas, mostrando todas elas uma alta consistência interna, com alfas de Cronbach de 0.96 e Análise Fatorial Confirmatória ≥ 90, sendo aceitos valores acima de 90.Os dados indicam que o qCT reproduz fielmente a estrutura do modelo teórico assumido e reúne as propriedades técnicas necessárias para avaliar as condições de trabalho em serviços de saúde. Na segunda etapa, a amostra estudada foi composta por 181 questionários distribuídos do seguinte modo: 88 no hospital ADM e 93 no hospital OS. No hospital ADM, 54 eram médicos e 39 enfermeiros. No hospital OS 57 eram médicos e 31 enfermeiros. Os dados categóricos foram apresentados por frequências e proporções, enquanto os dados numéricos foram descritos por médias e desvios-padrão. Analisando as respostas obtidas, delineia-se uma tendência, notadamente entre os médicos, de aceitação e naturalização de vínculos empregatícios privados, e mesmo valorização do setor privado. Entre os enfermeiros destacam-se a ambiguidade em relação às condições de trabalho e respostas matizadas por atitudes de aquiescência com as normas da organização. Esses posicionamentos são analisados à luz de referencial teórico que situa a assistência hospitalar sob gestão das OS como empreendimento tornado vantajoso em um contexto de apropriação do fundo público por empresas médicas em crise, com a imposição de instabilidade de vínculos empregatícios e colonização da esfera pública por valores neoliberais, tais como o empreendedorismo, maciçamente propagandeado pelos meios de comunicação e aceito pela classe “média” a qual pertence a maior parte dos médicos e enfermeiros que participaram dessa pesquisa.
Assunto working organization and conditions
SUS management
physicians
nurses
hospital
condições e organização do trabalho
gestão no SUS
médicos
enfermeiros
hospital
Saúde Coletiva
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data 2017-10-06
Publicado em COSTA, Sheila Araujo. Condições e organização do trabalho no SUS em dois hospitais públicos sob diferentes formas de gestão na perspectiva de médicos e enfermeiros. 2017. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), 2017.
Linha de pesquisa Gestão do cuidado e o trabalho e(m) saúde
Área de concentração Política, Planejamento e Gestão em Saúde
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 119 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5160943
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/11600/41880

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: 2017-0023.pdf
Tamanho: 2.927Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)