O cotidiano de trabalho do ACS: trilhando caminhos entre prescrições e invenções

Show simple item record

dc.contributor.advisor Cecilio, Luiz Carlos de Oliveira [UNIFESP] pt
dc.contributor.author Barros, Luciana Soares de [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2018-06-04T19:14:36Z
dc.date.available 2018-06-04T19:14:36Z
dc.date.issued 2016-08-16
dc.identifier https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3729706 pt
dc.identifier.citation BARROS, Luciana Soares de. O cotidiano de trabalho do ACS: trilhando caminhos entre prescrições e invenções. 2016. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), 2016.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/11600/41875
dc.description.abstract Introduction: This study focus on the work process of the Community Health Agents (ACS), an strategic actor in Brazilian National Health System (SUS) due to its role as “mediator”; between the community and the Primary Care Unit Health (UBS). Objective: This study aims give visibility to elements in the daily work of ACS, trying to understand how he organizes his care practices; builds his relationship with the health team; reflects on their performance in the context of the Family Health Strategy; and the main difficulties encountered to carry out his work. Method: Cartographic method made by participant observation in six UBS of the metropolitan region of São Paulo city that provides the production of field diaries with records of scenes observed in team meetings, group activities, home visits, walking through the territories and other activities. For analysis the concept of “visibility plan”; was used, which means what is highlighting or becomes visible / speakable from the connections of the scenes of similar “nature”; as recorded in field diaries. Results and discussion: From the visibility plans was possible to discuss issues relating to acquaintanceship of ACS with the refusal of the population; to violence and drug trafficking in the territory; to the difficult management of the community’s secrets; and to the multiple dimensions of the complex relationship with the community due to his dual resident / worker status. It was possible to understand a process of transformation of this worker, which has been presented as a multipurpose worker at UBS, occupying the role on an interim manner. This is different from the profile idealized by the ACS policy, which has a certain “militancy”; as a constitutive characteristic of the function. In addition it highlights the connection of the ACS with the rationalization of health practices, that has as elements the bureaucratization and the setting of production targets, increasing his work overload, but also his strategies to handle the flows, exercising their autonomy in the territory. The relationship of ACS with the health team points to domination and subordination of ACS, but also to his resistance movements, inventiveness and cooperative work. Conclusion: This study has highlighted a health worker in mutation that reproduces biomedical and bureaucratic practices, which can disfigure his role as a community link, but can also be quite creative, permanently (re)inventing his practices, in a way much more complex than prescribed in the original formulation of health policy, due, among other things, the complexity of the territories in which he operates. en
dc.description.abstract Introdução: Esta investigação teve como foco o processo de trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), ator estratégico no SUS devido a sua atuação como “mediador” entre a comunidade e as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Objetivo: O estudo procurou dar visibilidade para elementos presentes no cotidiano de trabalho do ACS, buscando compreender como organiza as práticas de cuidado; constrói suas relações com a equipe de saúde; reflete sobre sua atuação no contexto da Estratégia da Saúde da Família; e as principais dificuldades que encontra para a realização de seu trabalho. Método: Investigação de natureza cartográfica, feita por meio de observação participante em seis UBS da região metropolitana da cidade de São Paulo, com produção de diários de campo, com registros de cenas observadas nas reuniões de equipe, atividades de grupo, visitas domiciliares, andanças pelos territórios e outras atividades. Para a análise do material, foi utilizado o conceito de “planos de visibilidade”, qual seja, aquilo que vai se destacando ou que vai se tornando visível/dizível, a partir das conexões das cenas de “natureza” semelhante registradas nos diários. Resultados e discussão: A partir dos planos de visibilidade foi possível discutir questões referentes à convivência cotidiana do ACS com a recusa da população; à violência e narcotráfico no território; ao difícil manejo dos segredos da comunidade; e às múltiplas dimensões do complexo vínculo com a comunidade atendida devido ao seu duplo estatuto morador/trabalhador. Foi possível compreender também um processo de transformação em curso deste trabalhador, que tem se apresentado como um trabalhador multiuso nas UBS, ocupando a função em caráter provisório. Isso é diferente do perfil idealizado pela política, que tem como uma das características uma certa “militância” constitutiva da função. Além disto, destaca-se a relação do ACS com a racionalização das práticas de saúde, que tem como um dos elementos a burocratização e as metas de produção, o que aumenta sua sobrecarga, mas também suas estratégias para manejar os fluxos, exercendo sua autonomia no território. A relação com a equipe de saúde aponta para dominação e subalternidade do ACS, mas também para movimentos de resistência, inventividade e para o trabalho cooperativo. Conclusão: O estudo permitiu evidenciar um trabalhador de saúde em mutação, que reproduz práticas biomédicas e burocratizadas, o que pode desfigurar o seu papel enquanto elo da comunidade, mas que também consegue ser bastante criativo, (re)inventando permanentemente suas práticas, de modo muito mais complexo do que prescrito nas formulações originais da política de saúde, em função, entre outras coisas, da complexidade dos territórios em que atua. pt
dc.format.extent 152 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso aberto
dc.subject Community Health Agent en
dc.subject Primary Health Care en
dc.subject Qualitative Research en
dc.subject Health Work en
dc.subject Health Care en
dc.subject Agente Comunitário de Saúde pt
dc.subject Atenção Básica à Saúde pt
dc.subject Pesquisa Qualitativa pt
dc.subject Trabalho em saúde pt
dc.subject Cuidado em Saúde pt
dc.title O cotidiano de trabalho do ACS: trilhando caminhos entre prescrições e invenções pt
dc.title.alternative Daily work of ACS: finding ways between prescriptions and inventions en
dc.type Dissertação de mestrado
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.identifier.file 2016-0016.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt
unifesp.graduateProgram Saúde Coletiva – EPM pt
unifesp.knowledgeArea Política, Planejamento e Gestão em Saúde pt
unifesp.researchArea Processo e gestão do trabalho e(m) saúde pt
dc.subject.cnpq Saúde Coletiva pt



File

Name: 2016-0016.pdf
Size: 1.953Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account