A espessura endometrial como fator orientador do tratamento clínico da gravidez tubária íntegra

Show simple item record

dc.contributor.author Soares, Roberto da Costa [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T23:01:33Z
dc.date.available 2015-12-06T23:01:33Z
dc.date.issued 2001
dc.identifier.citation São Paulo: [s.n.], 2001. 104 p. tabgraf.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17360
dc.description.abstract Realizado estudo em 181 pacientes com diagnóstico de gravidez tubária íntegra, com o desígnio de avaliar a contribuiçao da espessura endometrial medida no eixo uterino longitudinal, como um novo fator orientador da conduta expectante ou do tratamento medicamentoso (MTX 50mg/m2, dose única, IM). Os critérios de inclusao da conduta expectante foram, diâmetro da massa anexial igual ou < a 5,0cm, títulos da b-hCG em declínio num intervalo de 48 horas, estabilidade hemodinâmica, desejo de gravidez futura e consentimento escrito para participar do estudo. O critério de exclusao desta conduta foi a presença de embriao vivo. Na conduta medicamentosa, os critérios de inclusao foram, o diâmetro da massa tubária igual ou < 5,0cm, elevaçao ou manutençao dos títulos da b-hCG num intervalo de 48 horas, desejo de gravidez futura e consentimento para participar do estudo. Nesta conduta foram excluídas pacientes com supressao da medula óssea, doença renal ou hepática. Todas pacientes foram observadas em regime de internaçao hospitalar, com acompanhamento clínico e dosagens da b-hCG. Quando houve queda dos títulos da b-hCG em 48 horas, a conduta expectante foi adotada. As pacientes receberam alta hospitalar para seguimento ambulatorial, com dosagens semanais da (b-hCG até níveis inferiores a 5,OmUl/ml. No caso de elevaçao ou manutençao dos títulos no intervalo de 48 horas, foi indicado uso do MTX, e o acompanhamento se fez através de dosagens da b-hCG, realizadas no momento do uso do quimioterápico e no 4º dia e 7º dia após sua utilizaçao. Quando houve queda dos valores da (b-hCG acima de 15 por cento, avaliados entre o 4º e o 7º dia, a paciente recebeu alta hospitalar e seguimento ambulatorial com dosagens semanais da (b-hCG, até níveis inferiores a 5mUl/ml. Quando nao houve queda dos valores acima de 15 por cento, utilizamos nova dose de MTX, seguindo a mesma sistematizaçao predita, quando após a 21 dose nao ocorreu a diminuiçao da b-hCG se optou pelo tratamento cirúrgico. A diminuiçao dos títulos da b-hCG até ficarem < 5mUl/ml, sem necessidade de cirurgia foi considerada sucesso do estudo. Das 181 pacientes com GE, 137 realizaram a conduta expectante, sendo que 128 (93,43 por cento) evoluíram com sucesso. Das 44 pacientes submetidas à conduta medicamentosa (MTX), 31 evoluíram com sucesso do tratamento (70,45 por cento). A média da espessura endometrial dos casos de sucesso da conduta expectante foi 9,03mm, enquanto nos casos de fracasso foi 9,67m...(au). pt
dc.format.extent 104 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Gravidez Ectópica pt
dc.subject Terapêutica pt
dc.subject Endométrio/ultraestrutura pt
dc.subject Pregnancy, Ectopic en
dc.subject Therapeutics en
dc.subject Endometrium/ultrastructure en
dc.title A espessura endometrial como fator orientador do tratamento clínico da gravidez tubária íntegra pt
dc.title.alternative Unrupured tubal ectopic pregnancy of an endometrial thickness like factor homing of treatment en
dc.type Dissertação de mestrado
dc.identifier.file epm-017172.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account