"O que vem da terra não faz mal": um estudo qualitativo sobre crenças e atitudes de consumidores e vendedores de plantas medicinais da cidade de Diadema/SP

"O que vem da terra não faz mal": um estudo qualitativo sobre crenças e atitudes de consumidores e vendedores de plantas medicinais da cidade de Diadema/SP

Alternative title "Natural and therefore free of risks": A qualitative study on the beliefs and atitudes of consumers and vendors of medicinal herbs from Diadema/SP
Author Lanini, Juliana Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Carlini, Elisaldo Araujo Autor UNIFESP Google Scholar
Graduate program Psicobiologia - EPM
Abstract A crença de que medicamentos à base de plantas são isentos de riscos à saúde faz parte da bagagem cultural da população afeita ao seu uso. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas junto a 20 raizeiros (vendedores de ervas “in natura”) e 18 usuários de plantas medicinais na cidade de Diadema/SP com o objetivo de investigar seus hábitos, crenças e atitudes com relação à segurança e eficácia de tratamentos baseados em plantas medicinais. Foram encontrados diferentes perfis entre os raizeiros, variando de “completamente seguro” até “completamente perigoso”. A maioria dos raizeiros declarou que “se as ervas tem um efeito, elas podem ter um efeito colateral”, dependendo de muitos fatores como a dosagem, associação com outros medicamentos, características do material vegetal (origem, contaminação, identificação incorreta) e características específicas dos usuários, especialmente aquelas relacionadas com gravidez, idosos e crianças. Foram detectados 39 casos de problemas relacionados ao uso de 22 espécies de plantas medicinais nas entrevistas com raizeiros. Por outro lado, todos os usuários entrevistados declararam crer que plantas medicinais são completamente seguras. No caso da amostra investigada, essa crença se baseia na origem natural e Divina das plantas medicinais, em valores culturais e também pela insatisfação com a medicina convencional. Entre os usuários, quatro eventos inesperados foram relatados ao uso de plantas medicinais. Mesmo entre as pessoas que experimentaram alguma reação inesperada, a crença de que tais medicamentos são isentos de riscos permaneceu intacta. Segundo eles, se as plantas “fizeram mal”, os remédios de farmácia “fariam pior”. Eventos adversos e outros problemas relacionados ao uso de ervas medicinal são relativamente raros, mas eles certamente ocorrem em maior freqüência em relação aos números oficiais. É necessária a implantação de políticas de fitofarmacovigilância eficientes, a fim de tornar o consumo mais racional e, deste modo, minimizar os riscos à população usuária..

Traditionally, medicinal herbs have been considered gentle and harmless because of their natural origin: “natural and therefore free of risks”. Semi-structured interviews were carried out with an intentional sample of 20 plant vendors and 18 users of medicinal herbs in the city of Diadema (São Paulo, southeastern Brazil) to explore their knowledge and beliefs on the safety and efficacy of medicinal herbs. Among plant vendors, different levels of perceptions about the safety of medicinal plants were found, varying from “completely safe” to “completely harmful”. The majority of the interviewees declared that “if herbs have an effect, they are also likely to have a side effect”, depending on many factors such as dosage, concomitant use of other drugs, characteristics (source, contamination, incorrect identification) of the plant material and consumer related factors, specially those related to pregnant woman, children and elderly people. Thirty-nine unexpected events related to 21 species of medicinal herbs were reported. On the other hand, all the users declared to believe that medicinal herbs are completely safe, due to their natural origin, relationship with God´s criation, cultural values and also because of their insatisfaction with conventional medicine. Among the users, four unexpected events related to medicinal herbs were reported. Even people who experienced this kind of problem declared to believe that herbs are safe, and if they did harm, synthetic drugs have done worse. Adverse events and other problems that result from medicinal herbs are relatively uncommon, but they are almost certainly underreported and occur more often than acknowledged. This study strengthens the call for further research and educational efforts into this complex area.
Keywords Plantas medicinais
Segurança
Language Portuguese
Sponsor Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID)
Associação de Fundo de Incentivo à Psicofarmacologia (AFIP)
Grant number FAPESP: 07/51887-4
Date 2009
Published in LANINI, Juliana. "O que vem da terra não faz mal": um estudo qualitativo sobre crenças e atitudes de consumidores e vendedores de plantas medicinais da cidade de Diadema/SP. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 116 p.
Access rights Open access Open Access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10348

Show full item record




File

Name: Tese-11637.pdf
Size: 1.069Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account